Buscar
  • Claudio Crescencio

MILITEC 1 NAS PISTAS DE CORRIDA: TRÊS ANOS SEM QUEBRA DE MOTOR


Se existe um esporte que brasileiro gosta, além do futebol, é do automobilismo. Em 2019, na última edição do Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1, o autódromo de Interlagos recebeu mais de 158 mil apaixonados por velocidade durante o fim de semana da prova. Por anos, etapas da Fórmula Truck realizadas nos autódromos do país reuniam mais torcedores do que os jogos de futebol do Campeonato Brasileiro. Em 2015, a média de público foi acima dos 38 mil pagantes, maior do que a das partidas do Corinthians, líder no total de torcedores naquele ano, com média acima dos 34 mil fiéis por jogo. Naquele ano, o clube paulista terminou como campeão brasileiro.

E aí, quando uma modalidade de corrida automobilística nacional apresenta resultados inéditos, não encontrados nem nas principais categorias do automobilismo mundial, é o caso de se prestar atenção nela. E se você é um apaixonado por velocidade, carros envenenados e motores girando em potência máxima, essa história é para você.

A GT Sprint Race surgiu no Brasil em 2012, a partir de uma tendência mundial no mundo das corridas de diminuição de investimentos e custos. Da necessidade de se ter categorias mais econômicas, surgiu a ideia de convidar amantes da velocidade com algum tipo de treinamento em corridas para participar de provas reais. Nelas, o piloto, que não precisa ser profissional, leva apenas o equipamento pessoal, e recebe um carro de competição com o mais alto padrão de performance, qualidade e segurança.

Com isso, a GT Sprint Race surgiu com uma das modalidades mais equilibradas e competitivas no circuito nacional. E rapidamente se colocou no calendário de provas do país, entre os torneios regionais e os de maior apelo, como a Stock Car e o Brasileiro de Marcas. Todos os carros são preparados por uma única equipe, e a modalidade conta com o apoio financeiro dos patrocinadores do evento. Isso faz com que a destreza e a habilidade dos pilotos se sobressaiam, já que a preparação dos carros é absolutamente igual.

Foi essa modalidade, que já desperta também o interesse do público em todo o país, que apresentou um resultado impressionante desde a sua criação. Porque cuidar de carros que rodam exigindo o máximo de potência de seus motores e de toda a engenharia aplicada em suas construções requer muito conhecimento técnico e a aplicação de tecnologia de ponta. E foi exatamente isso que a equipe de preparação dos carros fez na GT Sprint Race: foi buscar o que há de mais avançado para a preparação dos motores dos automóveis que vão para as pistas. Nesse universo de tecnologia e inovação, encontraram o MILITEC 1, condicionador de metais distribuído no país com exclusividade pela MILITEC Brasil.

Como resultado, registraram três anos seguidos de competições sem uma única quebra de motor. Piloto e CEO da marca, Thiago Marques informa que o resultado foi obtido com o uso do MILITEC 1 em todos os veículos da competição.

Foi o uso do MILITEC 1 que permitiu o melhor desempenho dos motores, dando qualidade mecânica e maior tempo de resistência aos equipamentos. “Foram três anos sem quebra de motor. Não conheço uma categoria em todo o mundo com uma performance dessas. É histórico.”


POR QUE USAR MILITEC 1?


O primeiro e melhor condicionador de metais que protege o seu motor de verdade: traz economia de combustível, aumenta a potência e reduz o desgaste, a vibração e o ruído do motor. Além disso, ainda auxilia na preservação do meio ambiente, pois reduz em até 70% os gases poluentes.

O MILITEC 1 usa o óleo lubrificante aplicado nos motores para alcançar as superfícies de metal e as regiões mais intensas de calor na parte interna do equipamento. Quando chega lá, separa-se do óleo, levando as moléculas do produto para a superfície metálica. Isso acontece quando a temperatura está entre 38 ºC e 66 ºC, mas pode variar de acordo com as condições de carga e atrito.

Essa reação torna a superfície mais enrijecida e cerca de 17 vezes mais resistente assim que é concluída. Então, enquanto amplia a resistência da superfície metálica, o MILITEC 1 reduz também o atrito que acontece entre os metais, diminuindo o desgaste do motor.

Para isso, use o MILITEC 1 a cada 20 mil km, na proporção de um frasco de 200 ml para motores com até quatro litros de óleo. Em até mil km após a aplicação, o motor do seu carro já estará coberto pela proteção do MILITEC 1.

2 visualizações0 comentário